sábado, 19 de dezembro de 2009

mais mimos

O Oscar Tomé foi invadido pelo espírito natalício e anda a estragar-nos com mimos.

Estes são os seu últimos devaneios:



E entretanto lança o desafio de enumerar as 5 coisas das quais mais nos arrependemos.



Falo por mim, a S. logo responde por ela. Epa, eu "só" me arrependo de (quase) todas as vezes que menti. O resto acho que fazia tudo igual outra vez. Acho...

E desta vez porto-me bem, e passo os selos aos blogs que gosto, logo os que sigo com mais dedicação, o que inclui o do amigo Oscar (http://purosaboramim.blogspot.com/)!

http://b-indigo.blogspot.com/
http://dolitasworld.blogspot.com/
http://grow-up-boy.blogspot.com/
http://ourmadworld.blogspot.com/
http://enquantocofioabarba.blogspot.com/

(Caracois-L)

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

se o natal é quando o homem quiser, a páscoa é quando eu quero!

Sexta-feira. O dia psico-terapêutico. O dia do sorriso Pasta Medicinal Couto - contaram-me no outro dia, que há quem combata o capitalismo, até na hora da higiene oral (e a doida sou eu..). O dia em que anseio pela hora de saída do trabalho para dormir a sesta. Dormir a sesta para poder não dormir à noite.
São 11h da manhã. Começam as trocas de mensagens para celebrar mais um fim-de-semana. Uma começa por dizer que ontem teve a visita de um homem com barba que lhe levou “uma prenda”, mas que não era o Pai Natal. Outra goza com as pessoas que a acolheram o fim-de-semana passado, mas que merecem ser gozadas. Eu... bem… eu, na falta de prendas e cenas tristes, avanço cheia de segurança: eu hoje vou partilhar fluidos orgânicos com um homem com barba. Mas tratei logo de esclarecer: o dito homem vai recolher a minha ranhoca e o meu sangue para fazer análises. É… a febre não vai embora.

E a meio da tarde fez-se luz...
Após um ano de torturas e milagres.
Após alguns meses de vários tipos de abstinência.
Após um jantar em que poderiam ter sido 13 à mesa, não fossem “os colas” de última hora.
Hoje dou por mim a oferecer o meu ranho e o meu sangue.
Adorem-me!
Eu sou Jesus, versão século XXI.
(Caracois-L)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Faz frio lá fora...

Faz frio lá fora! O céu está cinzento... Agora não chove.
É Dezembro!
Há algo diferente hoje... Não sei... Foi de repente, mas tudo ficou diferente hoje...
Não sei dizer como começou. Apenas comecei por sentir a tristeza invadir-me. Estupidamente dizemos: "Ah, é do tempo!".
Não, não é do tempo... Ou melhor... é do tempo! Não do clima, mas do Tempo...
Tempo que não volta atrás!
Tempo que dói!
Tempo que gela, que me faz gelar.
Tempo que passa depressa, sem nos apercebermos.
Tempo que infelizmente não volta atrás.
Hoje, olhando á minha volta, vejo o que o tempo me fez.
Estou maior! É verdade, cresci! Estou mais forte... Mas também sei que nunca fui propriamente fraca. Mas hoje... Hoje sinto-me fraca, mais fraca!
Há muito que não me sentia assim... Invadiu-me a saudade... Saudade! (suspiro)
Sim, suspiro! Suspiro por ti... Suspiro pelo passar do tempo. Tempo que não volta atrás!
Fazes-me falta!
Sinto a falta... Hoje mais do que ontem... Porquê?
Não sei... Estou sozinha agora. Talvez por isso.
Perdi-me no pensamento. Perdi-me sozinha na saudade!
É Dezembro!
Está frio lá fora...

(há muito que não me dava para isto)

(Caracois - S)


lady of ice

Tocarem-me nas mãos é uma invasão do meu espaço. Dou mais facilmente um abraço ou um beijo que uma carícia na mão de outra pessoa. Simbolismo tonto? Talvez. Mas um dos maiores símbolos dos meus territórios privados, um portal místico, sei lá.
Hoje pediram-me a opinião num assunto. Assunto delicado. Assunto penoso. Assunto difícil de avaliar, quando os meus próprios assuntos não estão resolvidos.
Acedi ao pedido.
Porque vejo uma sombra do que essa pessoa pode já ter sido.
Porque ainda assim, gosto dessa sombra.
Porque vejo um coração que teima em bater baixinho, tão baixinho que faz o sangue chegar tímido às mãos.
Porque tem umas mãos bonitas.
Porque tem umas mãos geladas.
Acedi ao pedido.
Não porque me considere capaz de lhe dar resposta.
Não porque considere que devesse dar resposta.
Não porque considere que a minha opinião o fizesse sentir melhor.
Acedi ao pedido.
Porque quis.
Porque me revejo na sua história.
E porque as minhas mãos, tantas vezes, também gelam.
(Caracois-L)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Espirito Natalicio... onde andas?

Há que séculos que não passo por aqui... Mas hoje, depois de ler o último comentário do Óscar Tomé e de ter de seguida dado uma voltinha na sua esplanada, decidi fazer uma aparição.

Pois bem... cá estou eu! Ao certo não tenho nada para escrever. Não tenho tido episódios dignos de publicação. Como diz o Óscar: "Na minha vida ultimamente não acontece nada de extraordinário ou minimamente significativo..." Mas cá estou eu... a tentar partilhar qualquer coisa.
Não tendo nada de jeito para vos contar, partilho aqui convosco o meu total desagrado com a minha prenda de Natal:

Aproxima-se a uma velocidade estonteante, o Natal!
Mas este ano decidi que havia de fazer as coisas de outro modo. Como tal 98% das minhas compras de Natal ja estao despachadas. Evitei, assim, ao máximo a loucura das compras de útima hora. No entanto, e por incrivel que pareça, acho que muitos portugueses decidiram este ano fazer o mesmo.
Resultado: Eu fugi das confusões, é certo. Mas tenho levado com as confusões das compras todos os fins-de-semana (ou melhor, todas estas últimas 3 ou 4 semanas).
(Só para esclarecer, eu trabalho numa loja de roupa. Tem sido o terror!)

O que de facto me animava era o facto de estar á espera da minha recompensa: o cabaz de Natal!
Andava eu muito contente a pensar que este ano (tal como nos últimos 4) iria receber um belo capaz de Natal, repleto de doces e garrafas de bebidas (tipico espirito natalicio), quando no passado sábado, o meu encarregado me entrega um pequeno pedaço de cartao prateado em forma de envelope, onde se podia ler: "Este é o nosso presente de Natal para ti."
"O quê??? Onde está o meu cabaz???" - pensei.
Pois bem... este ano substituiram o meu magnifico cabaz por um cartão oferta no valor de 60€ para gastar numa das nossas lojas!!!
"Isto não pode ser real!" - exclamei.

Chamem-me o que quiserem... mas por muito que goste de fazer compras (e gosto!) preferia mil vezes o meu cabaz de Natal!
Onde está o espirito natalicio? Parece que ele abandonou a nossa empresa (algo que eu ja devia ter desconfiado, tendo em conta as horrorosas decorações de Natal das nossas montras!)...


(Caracóis - S)

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

acho que era a A

Sexta-feira, 16 horas: chego a casa com um cansaço arrasador, deito-me e acordo só no dia seguinte. Provável diagnóstico: gripe. Uma qualquer. Talvez a A.

Sábado, 20 horas: a entrar em parafuso. Eu, L. a Grande Borguista, ia ficar em casa pela segunda noite consecutiva do fim-de-semana. Quando me lembrei que só existem duas noites num fim-de-semana normal, a neura instalou-se.

Sábado, 23 horas e 40 minutos: o meu telemóvel toca para me dar a notícia de uma visita inesperada com paracetamol, música e perfume dentro do bolso do casaco. Nas horas seguintes iria aperceber-me que, afinal, esse mito urbano de uma noite bem passada na conversa, com bolachas e coca-cola e sem qualquer tipo de actividade física, seja ela de que natureza for, não é mito nenhum.

Domingo, 7 horas: fecho a porta, acendo o último cigarro de Sábado e penso...
“não há pessoas perfeitas, mas algumas andam lá tão perto…”
(Caracois-L)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

um agradecimento...

Aos que passam por aqui e gostam, mesmo sem mostrar.
Aos que passam por aqui e não gostam, mas também não chateiam.
Aos que ficaram mesmo depois de algumas ausências nossas.
Ao Oscar Tomé (autor de um GRANDE blog) que nos deu o nosso primeiro selinho!


Cá está ele:



(As Caracois!)

PS: não sei se era suposto também repassá-lo para mais alguém... Se for avisa, Oscar Tomé!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

e ao sétimo dia, Deus...

Ao sétimo dia após o 31º aniversário da L., Deus olhou para baixo e pensou:
"Oh minha menina, se pensas que vou descansar, estás muito enganada... hoje é que vou gozar contigo à grande!"

Para além de me ter posto a servir de conselheira na questão mais surreal, em que devia sentir pena, ou pelo menos, alguma consternação, mas que na realidade me deixou um pouquinho satisfeita...
Para além de me ter dado a ideia de propôr a uma miúda com uma cardiopatia congénita que subisse 5 andares de escadas quando havia 3 - TRÊS - elevadores disponíveis...
Para além de me ter proporiconado uma cólica com metano aromatizado o dia inteiro...
Para além disto tudo...

Ele decidiu encher hoje as ruas de homens com barba!

Dei-me ao trabalho de os contar a partir do meio-dia (altura em que percebi o master plan do bacano). Foram 67 e destes, 18 trabalham nos armazéns do Chiado.

Mensagem aí para cima:
SE A TUA IDEIA ERA QUE EU ENJOASSE DESSA ESPÉCIE, ESQUECE! ATÉ GOSTEI, ESTÁS A OUVIR?!?!?!

(Caracóis-L)
PS: quem leu isto antes das 2h10 e voltou a ler depois, talvez note uma ligeira correcção, mas teve mesmo de ser...

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

primeira comunicação oficial com 31 anos

Escusado será dizer, tendo em conta que fui trabalhar num Domingo de chuva daqueles que pede pijama o dia inteiro, que o meu humor não está nos melhores dias. Podia até acrescentar que o idiota que se lembrou um dia que trabalhar aos Domingos é bom e faz bem, devia, no mínimo, ser empalado em praça pública.
Duas pérolas a registar neste dia:
Pérola n.1
Jovem cigano vem ao gabinete acompanhado pela mãe. Ele devia estar quieto, mas não estava.
Pela 50ª vez aviso-o: "Oh rapaz, tens que estar sossegado!"
A mãe argumenta: "Ele é hiperactivo em último grau (oh céus, lindo!). Isso agora é doença, no meu tempo levávamos no focinho!"
Ri-me, e por simpatia concordei: "Pois era, pois era!"
Ela acrescenta: "Pois, porque você também tem cara de quem levou umas belas lamparinas no lombo por ser assim!"
Pois é meus caros, a senhora de etnia cigana olha para mim durante 5 segundos e considera que: eu tenho cara de rufia versus hiperactiva-em-último-grau e que merecia, sem qualquer dúvida, ter levado uns belos sopapos desde que nasci!
Pérola n.2
Faço uma pequena pausa para fumar um cigarro na rua.
Um jovem dos seus 80 anos, visivelmente, sonoramente e aromaticamente embriagado aproxima-se de mim para desabafar sobre a vida.
Ele: "Sabia que a minha reforma são 500 euros, mas que este mês recebi a dobrar?"
Eu: (Oh fantástico! Com tanta gente na rua, porque é que os malucos falam sempre comigo?) "Então ainda bem, para comprar as prendas de Natal!"
Ele: "Ainda bem uma merda! Então e no Carnaval, e na Páscoa e nos Santos?? Como é que é?? Cabrões! *"$/=#?"@!!!!!!"
Eu: "Pois, pois... tenho que ir trabalhar, boa tarde..."
Boa noite!
(Caracois-L)
PS: Concordo com os dois!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

coisas absolutamente estúpidas que só me acontecem a mim (III)

Estou a combinar a ida a um concerto com uns amigos. Um deles é especialmente gozão, principalmente ao telefone. E eu tenho um tratamento especial para os amigos gozões. O meu telemóvel acabou agora de tocar com um número desconhecido, atendi e esta foi a conversa:
Eu: Sim?
Ele: Estou... aaa... é a... hmmm.... a sra L.?
Eu: Sou...
Ele: aaaa... boa tarde... sra L.
Eu: oooh estupido tás bom? O que é que queres?
Ele: aaaaa.... fala da EDP....
*silêncio*
Ele: aaaaa.... estou?... Sra L.?....
plin!
Obviamente enganei-me... não era o meu amigo...
(Caracois-L)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

bom diaaaaaa!!!!

A mulher das insónias.
Ou talvez não.
Simplesmente a mulher dos fusos horários errados.
Tenho insónias porquê? Porque como não durmo à noite, chego a casa à tarde com sono e… durmo. Acordo à hora que as ditas “pessoas normais” vão para a cama, janto, estou acordada a noite quase toda e depois durmo uma “sesta” antes de ir trabalhar de manhã. Depois chego a casa à tarde com sono e… durmo.
A verdade é que sempre tive tendência para ter mais actividade nocturna. E digo isto consciente do risco de ser mal interpretada. Mas vivendo sozinha, mais esta tendência se acentua, porque não tenho que me "compatibilizar" com os horários de alguém com um ritmo circadiano normal.
No entanto, a noite de Domingo para segunda bateu recordes, fui trabalhar praticamente de directa. Mas como só cheguei a casa depois da hora de jantar, só dormi à hora das “pessoas normais”. Resultado: hoje acordei às 4 horas como se já fossem 9 horas, fresca como tudo!
E então, o que tem isso de especial?
Nada! Já lavei roupa, já lavei loiça, já almocei… sim, porque sinto que é como se fosse meio dia, já “mamei” uma pizza e uma lata de coca-cola, estou agora a curtir aquele cigarrinho-do-depois-do-almoço.
Sim… eu sei… ainda são 7 horas da manhã…
(Caracois-L)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

hey miuda! tás viva?

Desaparecida?
Não...
Apenas desorientada!
Umas coisas novas difíceis de entender, logo, difíceis de encaixar seja onde for.
Umas coisas antigas, arquivadas no fundo dos fundos, mas que teimam em pôr a cabeça de fora.
As insónias estão de volta.
A paciência é pouca.
A cabeça já vem dormente quando chego a casa. O resto do corpo, por compaixão, também...
Tanto que o meu jantar, desde segunda-feira são umas meias luas castanhas-escuras que flutuam num líquido branco, que as pessoas menores de 18 anos costumam comer ao pequeno-almoço.
Enfim...
Hei de voltar.
(Caracois-L)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

SPM

Irrita-me que os homens, e algumas mulheres com taxa de produção hormonal diminuída, se recusem a aceitar que o síndrome pré-menstrual seja uma entidade real e com vontade própria, que encarna nas mulheres ao 26º dia do seu ciclo reprodutor, e que as obriga a proferir palavras agressivas e com pouco nexo e a chorar sem motivo aparente.

E mais, se este estado de “parece que está possuída” só dura dois ou três dias, também não percebo qual é o drama!

O facto é que eu tenho que aguentar lamúrias porque o Benfica perdeu, ou porque a outra tem um vestido igual ao de não-sei-quem, ou porque alguém disse o que não devia, durante um mês inteiro.
Então também não vos devia custar nada ouvir-me a dizer que odeio 20 pessoas, que estou farta do frio que só chegou há uma semana, que não atendi o telefone porque não me apetecia falar com a pessoa que me estava a ligar, que não respondi à mensagem porque estava com preguiça de escrever, e que estou triste – mas porquê? – não sei, que o corte de cabelo que custou não-sei-quanto no cabeleireiro-não-sei-de-quem ficou uma bela merda, e mais outras coisas que agora não me apetece dizer. São só dois ou três dias... (o resto do mês é mesmo loucura natural).
(Caracois-L)

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Barcelona - 2 meses depois

Desde há uns tempos para cá, há uma conta de mail que só costumo abrir em casa. Aquela onde iria receber o resultado de um exame importante que fiz há 2 meses atrás.
Para quem não se lembra, tive que ir a Barcelona (oh chatice…) fazer um exame com 5 horas de duração, para o qual tinha estudado durante meses e que, segundo aqueles que já o tinham feito, se assemelhava a tortura psicológica do mais elevado grau.
A verdade é que hoje de manhã tive mesmo que usar esse mail no trabalho para retirar um documento. Pânico. Tinha uma mensagem cujo título dizia “[EAE Barcelona TTE - 2 September 2009]: EAE TTE Accreditation exam - 2 September 2009 session - Result”.
Tive de imediato uma taquicárdia com sudorese intensa, expulsei toda a gente da sala, fechei a porta e os segundos que aquela mensagem demorou a abrir pareceram uma eternidade… por momentos deixei de saber ler inglês, tudo aquilo era um amontoado de letras sem sentido nenhum… mas lá decifrei as palavras que fizeram o meu dia:

We are pleased to inform you that you successfully passed. Please accept our congratulations.

Dia 2 de Novembro de 2009: dia em que o meu subtil mau feitio se desvaneceu, andei sem tocar no chão, havia passarinhos a cantar por todo o lado, tive vontade de comer algodão doce e andar descalça na relva, tive vontade de abraçar desconhecidos, as pessoas com quem não simpatizo pareceram simpáticas, os feios pareceram bonitos, e até os monhés cheiravam bem!
(Caracois-L)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

novembro

Já é estranho o bastante entrarmos em Novembro de manga cava...
No entanto, e como já é do conhecimento geral, no meu mundo, tudo é estranho. Esta é apenas uma estranheza que tenho o prazer de partilhar com o resto do país...

Fim-de-semana terminado já há umas boas horas atrás, porque lá fui eu vergar a mola (frase tornada célebre pelo senhor meu pai, quando se refere ao trabalho) num Domingo...

Duas situações a reter no meu curto fim-de-semana:

Pediram-me um documento de identificação para entrar numa discoteca. Perguntei porquê. Para confirmar a idade...
Parte-petulante-do-meu-cérebro: Olha lá oh meu grande parvalhão! Já fiz 30 anos há quase um ano!
Parte-bora-mas-é-curtir-do-meu-cérebro: Man! Diz lá o que andas a beber que isso é bem melhor que gin tónico!
Parte-astuta-do-meu-cérebro-mas-completamente-oprimida-pelas-outras-duas: Este gajo droga-se. Aliás, aqui se calhar todos se drogam. Vamos embora e é já!
Eu-comandada-pelo-regime-tirano-das-partes-dominantes-do-meu-cérebro: Boa noite! Pois com certeza!

Saída do turno de domingo à tarde, com uma segunda-feira que se adivinha de cão, cheguei a casa esganada de fome e com desejo avassalador de comer uma sandes de fiambre. Não tinha pão, então comi "só" uma embalagem inteira de fiambre fatiado e uma lata de coca-cola. E em vez de ir dormir, estou a partilhar esta coisa sem jeito nenhum com o mundo.

E pronto!
Boa semana para todos!
(Caraois-L)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

à porta da tasca

Cheguei a casa e olhei para cima da mesa, onde estavam calmamente a olhar para mim, dois envelopes brancos sobrecompridos…
Merda! Hoje é o último dia para pagar a água e a net!
Ainda dormi uma sesta, e já noite posta, saí de propósito para ir ao multibanco mais próximo.
Pelo caminho tenho que passar por uma tasca, ou café ranhoso, como preferirem.
À porta costumam juntar-se vários indivíduos do sexo masculino, alguns embriagados, outros quase lá. Desta vez havia dois grupos, ambos com aspecto bastante duvidoso, daqueles que param a conversa sobre o Benfica para verem bem a menina que vai a passar na rua nesse momento, mesmo que a menina já tenha ar de quem tem netos.
Do outro lado da rua, sozinho e encostado à parede a fumar um cigarro, estava um senhor com um ar relativamente apresentável, pelo que optei por atravessar a rua antes de passar pelos dois grupos já mencionados.
E é exactamente no momento em que passo por esse mesmo senhor com ar inofensivo, que ele me diz baixinho: dava-te uma que te virava do avesso…
Do outro lado da rua, a conversa sobre o Benfica parou, mas ainda os ouvi a retomar a discussão.

Conclusão: mais uma vez, tentei avaliar um espécime XY e errei completamente!
(Caracois-L)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Oh L., porque comes tanto?

...

1- porque tenho fome;

2- porque cozinho bem demais;

3- porque sou uma pessoa gastronomicamente feliz (já tinha dito esta antes...);

4- porque tenho uns bons genes que fazem com que só engorde um bocadinho de vez em quando;

5- porque às vezes, ou muito frequentemente, tenho ataques súbitos de carências psico-afectivas pelo que, na falta de dinheiro para o psicólogo, faço terapia doméstica com comida em doses industriais, o que, e apesar de tudo, sempre é melhor que arranjar um gato e deixar crescer o buço.

Esclarecidos?

post dedicado a todos os que sentem necessidade de libertar um desabafo sempre que me vêem a praticar os meus saudáveis hábitos alimentares
(Caracois-L)

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

no metro

Um post só para relatar uma conversa que acabei de ouvir no metro.
A Alzira e a Zulmira sentam-se ao meu lado. Senhoras dos seus 50 e poucos anos, cada uma com o seu belo buço e com umas unhas em tom de vermelho escamado. Ao início pensei que o verniz estalado devia ser de lavar a loiça, mas quando uma delas decidiu palitar os dentes, usando pelo menos 3 unhas, percebi o porquê daquele trabalho artístico de manicure.
Adiante!
Sentam-se ao meu lado e começam a disputar quem tinha a vida mais triste. Sim, porque isso de comparar conquistas e vitórias pessoais é para malta que não tem vida própria. Português que se preze, só se orgulha do que lhe corre mal.

Cá vai então:


Zulmira: Oh filha, isto começou tudo a correr mal desde que o meu marido mudou os medicamentos do cástrol por causa da prósta e deu-lhe o ABC.
Alzira: Ai mulher. Foi aí que ele ficou com a boca ao lado e paradinho da cabeça?
Zulmira: Da cabeça e do resto, que aquilo agora é um mono que dorme na minha cama. Olha até fiquei com uma depressão muito grande, afectou-me toda dos nervos. Andei num psiátra e tudo, vê lá!
Alzira: Oh também já tive assim, quando apanhei a menopausa. Foi na altura que a minha Belinha teve muito doente, tinha um aninho.
Zulmira: O que tinha ela?
Alzira: Nunca nos disseram, escreveram tudo no processo criminal da menina, mas ficou tudo no hospital.
Zulmira: Pois pois… Olha sabes, eu é que agora apanhei uma psórise, que é uma doença muito grave na pele que pode afectar os ossos e o peito, mas já fiz um TACO e um tóráxe, e tou toda limpa por dentro.
Alzira: Graças a Deus!

Metro:
Próxima estação: Rato. Estação terminal.
Eu: (Graças a Deus…).


(Caracois-L)

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

o croquete

Dia inteiro na ronha dá nisto: agora não há sono para ninguém!!
E lá andava eu a rebolar na cama e a pensar nas minhas coisas. Ontem mandei uma mensagem a uma pessoa, primeira de todas entre nós. Por brincadeira sugeri um croquete, iguaria apreciada por ambos, caso passasse perto do seu local de trabalho.

Podem agora dizer: epah oh L., ninguém sugere croquetes, rapariga!
É verdade…

A resposta tardou, mas chegou 12 horas depois, tipo testamento, mas com alguma graça.
No entanto com um pormenor perturbador. A páginas tantas (posso mesmo empregar este termo, tal não era o tamanho da dita mensagem), o autor da resposta diz o seguinte: um croquete parece-me inofensivo…

Um croquete inofensivo…
Não consigo parar de pensar nisso. Não consigo bem decifrar o que ele queria dizer com isto…
As últimas análises ao sangue revelaram níveis de colesterol demasiado elevados?
Estaria a pensar que eu podia usar um salgado como arma de arremesso? De facto as chamuças podem ser mais perigosas. Aquelas pontas da massa, se demasiado fritas, podem furar um olho. Um croquete parece mais inofensivo, lá isso parece…
Ou seria uma forma subtil de dizer “oh filha, não sei o que andas prai a pensar, um croquete tá-se bem, mas mais que isso podes esquecer”.

Porra pá!
Eu disse croquete como quem diz café!
(Caracois-L)

domingo, 18 de outubro de 2009

Domingo, 18h30.

Até este momento tenho sido um ser de muito baixa produtividade. Tenho dormitado e almoçado nos intervalos. Estão neste momento contabilizadas 3 pratadas de massa de atum. Massa essa, que estava previsto sobrar alguma para amanhã levar para o almoço, mas que as mais recentes sondagens indicam que nem deve sobrar para o jantar de hoje.
Fica para trás um fim-de-semana pacífico, onde esperei por uma mensagem, acabei por recebe-la, mas não percebi nada do que dizia; andei fugida, ninguém sabe bem do quê, mas a vida é mesmo assim; um amigo achou que eu andava a fazer reabilitação de uso de substâncias ilícitas (oh Deus…); e apanhei meia conversa de duas feias que comentavam as maravilhas que a vaselina faz, ao que comentei que certamente estavam a falar da pele seca dos cotovelos e os meus amigos chamaram-me de má…
Agora tinha aqui umas coisas para fazer, mas barriga cheia de massa de atum pede sesta…
(Caracois-L)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

tranquilos!....

Pronto pronto!
Instalei o pânico…
Senti-me na obrigação de esclarecer algumas coisas (oh meu Deus, longe de mim a intenção de vos privar da minha triste, mas hilariante vida)!

Não! Não vou deixar de sair à noite, fazer viagens loucas de táxi, nem abandonar aquele gin tónico maroto que me troca sempre as voltas.

Não! Não vou parar de comer como uma besta. Sou uma pessoa gastronomicamente feliz, e quero lá saber do resto!

Não! Não me vão deixar de acontecer desastres e tragédias. Pessoas trapalhonas serão sempre pessoas trapalhonas, por mais decisões importantes que tomem na vida.

De qualquer das maneiras, o assunto em questão nunca foi um dos mais explorados neste espaço, pelo que ninguém vai dar muito pela diferença.

Conto então a última (já tem uma semana, mas que importa?):

Saída de gajas! Jantarada à grande, vinho, vinho, vinho, armadas em homens!
Fomos dançar um bocado. Ninguém se lembra porquê, mas saímos da festa antes de ela acabar. Nenhuma de nós tinha carro, mas fomos para o parque de estacionamento.
Má escolha de calçado, as sabrinas estavam a roer-me os pés, soltei-as um pouco dos calcanhares… e qual não é o meu espanto quando olho para baixo e reparo que tinha perdido uma… Não, o chão de gravilha não denunciou um pé descalço, foi mesmo preciso olhar para lá (viva o gin tónicoooo!).
Vejo que a sabrina perdida estava apenas a uns escassos metros, baixo-me para apanhá-la, mas baixo-me demais, e…. chão com a L.! Levanto a cabeça e vejo um “amigo” antigo a olhar para mim, enquanto oiço outro “amigo” antigo a chamar-me.
Espera lá! Estou descalça, caída no meio do chão, com estas duas personagens a olhar para mim? O plano mais lógico que a minha abençoada inteligência arranjou nesta situação, foi desatar a correr descalça e esconder-me numa paragem de autocarro (sim, são de vidro transparente, eu sei…).
Lá me safei, fui para outro sítio dançar com outras pessoas, encontro um outro amigo, conto-lhe a parvoíce… e ele diz que acabou de receber um sms dos outros dois a dizer que também estavam a ir para lá…
Como vêem, a minha vida será sempre assim…
(Caracois-L)

terça-feira, 13 de outubro de 2009

hoje...

...depois de resoluções drásticas e curas caseiras intensivas, descobri o caminho para estar em paz comigo...

... e acabei de dar o primeiro passo!

(só temo que deixe de ter histórias malucas para contar aqui...)



(Caracois-L)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Maratona

Esta manhã pensei em ir correr. Juro mesmo que pensei nisso. Mas... como nem todos os nem todos os nossos pensamentos viram de facto acções... Fiquei por casa!

Agendei então uma corridinha para o final de tarde. Eu ja estou mesmo a imaginar... Corro dois minutos e meio e o resto do caminho fá-lo-ei a andar. É mais que certo! Como se não bastasse o simples facto de detestar correr, tou parada há imenso tempo... Não posso exigir muito mais de mim... Por agora! :)

Como achei que não devia desperdiçar uma manhã (que só por si já começou mal) decidi fazer algo de util.
Há uma maratona que tenho de fazer. E tenho de a começar antes que seja tarde demais. A maratona do estudo!!!

Há uma semana que voltei a pegar nos livros e a estudar!!!
Hoje... Peguei nos livros, folhas, material de escrita e no portátil e fiz-me à vida. Muito decidida subi as escadas até ao sotão e montei a barraca! Tenho estado a manhã toda a estudar (Geologia - detesto!). Completamente isolada! Uma musiquinha de fundo, só para não dar em maluca...
Este ano é que vai ser... Ensino Superior, aqui vou eu!

Para já... uma pequena pausa para o almoço e para arranjar as unhas! Lol

Ps: Prima... tenho a certeza que vais ler isto. Já sabes... Começa a dar-me na cabeça se me começar a desviar dos meus objectivos!

(Caracois S)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Decisão tomada

Ora ora... hoje um pouco mais calma... tomei a decisao! Não quero saber de dietas!!! Dieta precisa a Bonga que insiste em se passear num vestido cor de rosa flurescente, quando nem de preto consegue disfarçar aquelas gordurinhas todas! Gordurinhas? Pois, tou a ser simpatica!

Cada vez que penso em dieta só me apetece é comer ainda mais coisas. É verdade, sou gulosa! E daí?
Amo cada quadradinho de chocolate, cada piramide da pastelaria Trevo, cada uma das milhares de gomas existentes, bolachas e todas essas coisas!

Também não tou assim tão gorda. A minha roupa continua a servir-me, a que tava larga continua larga... Tá tudo controlado! Embora a balança mostre um numero que não me agrada muito... tenho de me lembrar que tenho 1,69m. E acima de tudo sinto-me bem!!

Mas... Sei que ando demasiado preguiçosa. Um pouco de exercicio nunca fez mal a ninguem!

Decisão tomada: Comer de tudo... mas fazer algum exercicio!


ps: Obrigada a vocês que me deixaram mensagens de apoio. :p

(Caracois S)

Filme romântico vs Filme de terror

Ok!!! Acabei de chegar do cinema. Programa a dois que me pareceu bem...
Portanto... Vizualizem!

Um casal vai jantar e depois vai ao cinema. Parece um cenário romântico, não é?
Conversinha pra lá, conversinha pra cá... Carinhosamente trato-o por "balofinho"... (só pra picar!) O pior veio depois... A resposta: "Oh mas tu também és balofa!!!"

BALOFA??? EU???
É que nem foi balofinha, termo mais carinhoso... nao foi mesmo balofa!!! (pra quem possa nao saber o significado da palavra... traduzindo = a GORDA)

De imediato a barriga começou a andar ás voltas... cheia de pipocas! ok... fui ao cinema, tinha de comer pipocas. Mas será que precisava de comer tantas??? :s O pensamento não mais foi o mesmo.
O meu cérebro gritava comigo: "Eu bem te avisei para deixares de comer bolos, chocolates e essas porcarias todas!!!" E mais alto ainda gritou: "Plano de emergência... Exercicio!!! Quilos de exercicio, como aliás ja te tinha avisado!"

Qual neurótica, assim que cheguei a casa fui a correr ter com a balança! "Balofa? Vamos lá a ver se tens razão."
OK!!! OK!!! Se calhar tens um pouco de razão... Eu S, vou emagrecer! (Não é que esteja muito gorda, mas sei que podia tar bem melhor. E já me chamaram balofa!!!)

Portanto... a balança marca 66 kg... a pender prós 67 kg! Vou querer que ela marque no máximo 62kg!!!

L, por favor ajuda-me! lol Tamos quase na mesma situação... mas eu tou pior claro!!!

(Caracois S)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

o lanche da Popota

Desolada com a minha nova vida de não-tão-magra e quase (praticamente) sem roupa para vestir, assim que saí do trabalho fui disparada para a Zara.
Calças! Preciso de calças! As que tinha ou não entro nelas, ou eu achava que entrava e rebentei com elas.
Cinco minutos depois estava a ligar à mana. Precisava de apoio psicológico. Pela primeira vez na minha vida ia comprar calças nº36. E comprei! São lindas! Mas não deixam de ser 36…

Mais tarde um amigo juntou-se às manas. E lá fui o elemento lúdico da tarde! Desde Popota a Jennifer Lopez, o meu rabo foi comparado a diversos ícones volumosos. Nem sei como não se lembraram de o chamar de betoneira…

Entretanto, depois da mana ir para casa, eu e o amigo fomos lanchar. Nada nos tirava da cabeça aquelas tostas fantásticas com galinha tandoori que se fazem num bar fashion do Chiado. Comemos… melhor, devoramos como animais as belas das tostas, falamos um pouco e fomos pagar.
E quem estava à caixa? Uma menina conhecida da TV!
Indescritível o que se passou a seguir (atenção que as minhas frases foram só em pensamento, o que disse na verdade não me lembro…).

menina – É a conta da mesa 123?
L. – Oh filha, sei lá em que mesa estava, só sei o que comi!!!
menina – São 11€, está bem?
L. – Não, não está bem! Faz lá aí a conta outra vez, que ao somar duas tostas e dois sumos te enganaste de certeza! Contas complicadas pah!

Eu e o meu amigo esticamos os dois os respectivos cartões multibanco. Amigos, amigos, mas cada um paga a sua conta!
Mas isto de ser estrela da TV tem muito que se lhe diga… Ao ver dois cartões a menina contorceu a cara, esticou as duas mãos para a frente e tremelicou os dedos, como se lhe tivesse entrado um mosquito num olho e ela tivesse acabado de pintar as unhas. Ao mesmo tempo vocalizou um grunhido impossível de transcrever.
Ao ver o seu desespero lá a salvei da tortura, “são 5,50€ em cada cartão, ESTÁ BEM?” (contas complicadas outras vez... desgraçada da rapariga!). Ela sorriu aliviada, mas subitamente o seu olhar ficou perdido a vaguear por cima do balcão. Lá a salvei novamente, e indiquei-lhe onde estava a máquina para passar os nossos cartões. Devo acrescentar que para além desse, os únicos objectos que estavam em cima do balcão eram um telemóvel e um vaso de flores… não percebo a confusão, mas enfim…

Pobre neurónio, que está a morrer de solidão na imensidão do vácuo daquele crânio! E ainda falam dos jogadores de futebol?!?! Poupem-me!
(Caracois-L)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A besta mais nova fez anos!

Desaparecida por uma boa causa. Ausentei-me para o aniversário da maninha. Duas meninas dotadas de um perfil dócil e carinhoso, lá conseguimos desentender-nos durante o jantar e ficar cerca de 1 hora sem nos falarmos. O hábito é tanto, que ninguém deu importância a que a aniversariante e a própria irmã mandassem autênticos impropérios uma á outra enquanto partiam pernas de sapateira com marteladas cada vez mais efusivas, como quem diz: tou aqui tou-te a partir a testa! Acabamos as duas juntas a dançar o like a virgin como sempre!

No dia seguinte fui-me reunir com a balança da avó estrudes. Cabra! Continua com a mesma conversa! Sim… continuamos com 7kg a mais… e com roupa a menos…

Neste momento estou à espera de um monte de gente que vem aí a correr com castiçais e outros objectos decorativos em punho, para me darem uma valente tareia.

(A tradução destas últimas duas passagens está em posts recentes. Simplesmente não estou com especial vontade de alongar o assunto por hoje…)
(Caracois-L)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

coisas absolutamente estúpidas que só me acontecem a mim (II)

Factos relevantes:
- a semana (como sempre) começou no Domingo
- hoje ainda é terça-feira
- estive o Domingo todo a preguiçar na cama (1) porque estava de ressaca, (2) porque ia trabalhar às 23horas e (3) porque os dois pontos anteriores me deixaram completamente deprimida
- ontem, segunda-feira, fui para a cama as 19h30, porque estive a trabalhar desde as 23horas de domingo até as 18horas, tendo apenas estado acordada em casa cerda de 45 minutos
- hoje, terça-feira, fui trabalhar as 8 horas, saí as 15horas e ainda fui fazer umas comprinhas, pelo que, apenas estou em casa há cerca de meia hora
- o meu cinzeiro é um pequeno pote de barro com água, colocado estrategicamente ao lado do meu puf preferido

O sucedido:
Há cerca de 5 minutos consegui dar o SEGUNDO chuto da semana no dito cinzeiro, derramando água mal-cheirosa de beatas de cigarro pelo meu chão de madeira.

(Caracois-L)

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

coisas absolutamente estúpidas que só me acontecem a mim (I)

Tomei um duche com o tempo contado para sair de casa.
Saio fresquinha do duche e Oh não, deixei a toalha no quarto!
Saio da casa de banho e Oh não, deixei as janelas todas abertas!
Passo a correr e Oh não, os meus vizinhos todos do outro lado da rua também têm as janelas abertas!

Merda para os dias de calor, para as ruas estreitas e para a minha cabeça no ar!
(Caracois-L)


P.S. - tendo em conta que não é a primeira vez que isto me acontece, o pensamento do outro lado da rua já não deve ser "olha-me só esta maluca", devendo ter sido substituido por "a maluca está mais gordinha"...

P.S.2 - isto dos 7kg a mais está a consumir-me de forma completamente obcessiva!

domingo, 27 de setembro de 2009

a saga continua

A saga dos 7Kg continua! Perdoem-me todos os que lutam desde o paleolítico para aniquilar a sua substância em excesso. Mas isto para mim é novidade e pronto!

Dizia que não me sentia gorda… pois…
Em Faro, a 300km de mim, comenta-se que “a L. agora até tem rabo, e uma barriguinha tão engraçada.”
Barriguinha engraçada?
Oh matem-se todos!!!

Dizia que a roupa não tinha deixado de me servir… pois…
Rebentei umas calças de ganga, numa zona em que se conseguia perceber perfeitamente a cor, a marca e o modelo da minha roupa interior, em plena noite lisboeta. Sim, o termo correcto é mesmo rebentei!
A minha salvação: um fabuloso anestésico chamado Martini, e essa moda simplesmente fantástica das túnicas com calças de ganga!
Resultado: andei por meia Lisboa, dancei que me desunhei e falei com 50 pessoas, com a minha bimba esquerda a descoberto, sem ninguém dar por isso… nem eu própria…

E hoje, Domingo, o dia dos pensamentos produtivos (ou não), pensava sobre isto, e dei por mim a aniquilar 1 litro de coca-cola e dois hamburguers com queijo.

Oh Deus!
Agrafa-me a boca!!!
(Caracois-L)

sábado, 26 de setembro de 2009

declaração

Declaro que a partir de hoje, e para todo o sempre, deixarei definitivamente de dar qualquer tipo de relevância a indivíduos com mau carácter, independentemente da importância que poderão ter tido no passado. Quem me apanhar a faltar ao prometido está oficialmente autorizado a espancar-me com qualquer objecto de dureza superior à madeira de ébano, até provocar uma hemorragia, uma fractura ou qualquer outra lesão num órgão interno.
Sem mais delongas, vou jantar com um grupo de amigos a sério, com o objectivo de ficarmos completamente embriagados e dançar até de madrugada.
(Caracóis-L)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

coisas de gaja

Nunca fui gorda. Nem sequer gordinha. A verdade é que sempre fui uma trinca-espinhas, com direito a todas as alcunhas alusivas a coisas fininhas.
Mas a inveja de algumas pessoas (entenda-se mulheres) com maior índice de massa gorda que sempre me rodearam, condicionou uma certa lavagem cerebral. A vida inteira me rogaram pragas que o meu corpo iria mudar mais cedo ou mais tarde. E hoje, como todas as outras, eu também tenho medo de engordar. Ainda mais quando as estatísticas indicam que a partir dos 30 anos, o corpo feminino assume o modo-leão-marinho, e decide revestir-se com uma sólida camada adiposa.
A verdade é que a balança da avó Estrudes me disse a semana passada que eu pesava mais 7 Kg que há 2 meses atrás…
E agora? Dieta!
Sinto-me gorda? Não!
A roupa deixou de me servir? Também não!
Mas peso mais 7Kg e quero fazer dieta, porque todas as mulheres têm que fazer uma dieta pelo menos uma vez na vida!
E desde que essa decisão foi tomada, tenho vontade de comer tudo o que me apareça à frente. Neste momento estou a enfardar pão como se o trigo todo do mundo acabasse amanhã e eu nunca mais pudesse comer pão outra vez. Ridículo, tendo em conta que eu nem sequer gosto muito de pão.
Amanhã acabo com isto da dieta.
Pode ser que assim coma menos…
(Caracois-L)

domingo, 20 de setembro de 2009

uma coisinha mais extensa para variar

Quarto e último dia do curso de emergência. Aquele que eu achava que ia ser aqui ao lado, no parque das nações, mas que afinal era nas Caldas da Rainha! Que remédio… lá fui e vim durante 4 dias! Dias intensos e longos, divertidos é certo, mas que me de davam a sensação que tinha levado uma tareia cada vez que chegava à minha cama.
Então, hoje, Domingo, o meu despertador tocou as 6h30 para o último dia. Pois é, para quem ainda tinha dúvidas acerca da malvadez do autor da minha biografia, cá está a confirmação: Domingo e o meu despertador tocou as 6h30 da manhã!!!!
Continuemos! Ele tocou, mas eu achei que me fazia falta mais 10 minutinhos de sono. Que a uma hora destas, e volto a referir, num Domingo, qualquer segundo na cama vale ouro! E então lá peguei no telemóvel para adiantar os tais preciosos 10 minutos no despertador…
Mas não foi nada disso que aconteceu…
E aqui começa mais uma das minhas loucas epopeias!

Acordo de repente. Olho para o relógio. São 7h07…
Foda-se! Já devia estar a sair de casa!!
Na minha mão direita jaz um telemóvel com um sms por enviar que dizia hjppprtm… foi isto que o meu corpo fez quando o meu cérebro lhe mandou adiantar o despertador?? Mão direita de castigo!
Meio azamboada, tomo um duche rápido, visto-me e agarro na mala para sair… E nesse momento surge-me um suor repentino, sinto uma pressão abdominal e olho apavorada para a porta da casa-de-banho… Intestino de castigo!
Problema intestinal resolvido, saio a correr! O caminho até ao ponto de encontro do grupo do curso, que foi feito nos outros dias em 35 minutos, tinha que ser feito hoje em 17minutos! Solução lógica: Táxi! Chego à praça de táxis mais próxima. Não há táxis de momento. Apenas um jovem visivelmente alcoolizado. Chega então um táxi. O bêbedo pergunta se quero dividir o táxi com ele. Digo rapidamente que não. Conversa rápida e ele até vai para o mesmo lado, não aparecem mais táxis, estou super atrasada… aceito! Conversa de ocasião, ele diz que já chegou ao seu destino, o taxímetro mostra 3,5 euros, o bêbedo estica-me uma nota de 5 e diz que não quer o troco, sai do táxi, e o taxista olha para mim com uns olhos estranhos…
Sim… senti-me uma daquelas meninas que faz companhia por encomenda. O taxista também deve ter pensado o mesmo… Mas pelo menos, tive metade da viagem paga!
O resto do dia passou. Curso acabado e com resultados positivos! Almoçarada de grupo até as 17 horas! Pazes feitas com a minha mão direita e com a minha tripinha. Estamos as três a partilhar um fantástico gelado com doce de cereja!
Hum... afinal a vida não me corre assim tão mal…
(Caracois-L)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

antes de dormirmos...

A terminar as minhas leituras para o curso de emergência e deparo-me com a seguinte informação: a reanimação cardio-respiratória deve ser iniciada sempre e de imediato, excepto nos casos em que se verifiquem situações de lesões incompatíveis com a vida: decapitações, incinerações, decomposição…
Muito bom!
Fantástico mesmo!
O que estariam a pensar quando escreveram isto?...
“Epá, deixa-me lá esclarecer os gajos, não vão eles tentar reanimar o corpo que tiramos do rio a semana passada!”
Mas depois pensei eu...
“Epá, será que algum anormal já tentou reanimar um corpo sem cabeça?”
Se assim for, acho muito bem que esclareçam as pessoas!
Que a malta às vezes pode andar distraída com outras coisas…
E quando a minha cabecinha começa a divagar assim é sinal de caminha... senão é ela que um dia destes deixa de ter indicação para ser reanimada...
(Caracois-L)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

não é mau feitio... é só ter sempre qualquer coisa que estudar...

Podia falar da festa da Moita…
Mas não me lembro de grande coisa… Tenho um conjunto de fotos hilariantes, no entanto.
Bem, mas como a minha história anda a ser escrita por um psicopata, acontece que este ano a minha linda festa foi interrompida por causa de um curso de 4 dias sobre emergência. E lá estava eu e a minha caixa de gelado de cereja a lermos umas coisas sobre o tema, quando o meu telemóvel começa a tocar.
Número desconhecido… hum… lá vem um chato da TMN…
(devo acrescentar que ela falava no tom mais entusiástico do mundo, enquanto eu respondia num tom arrastado como quem diz “não tens mais ninguém a quem moer o juízo a esta hora?”)

- Muito boa noite, fala a não-sei-quantas da TMN, seria possível falar com a senhora dona L.
- É a própria…
- Olá, está boa?
- Tou… (mal podia acreditar que ela me tinha perguntado isto…)
- Ainda bem! Dona L., quero informá-la que já juntou 500 pontos!
- Eu sei…
- São 500 pontos que pode trocar na nossa loja TMN!!! Já viu o nosso catálogo de telemóveis?
- Já vi já…
- E de qual é que gostou?
- Não me lembro. Podemos falar noutra altura?
- É rápido dona L. Diga lá de qual é que gostou! Se me disser a cor talvez cheguemos lá!
- Havia um em cor-de-rosa e preto, mas…
- Ah era o Nokia qualquer-coisa?
- Não.
- O Samsung qualquer-coisa?...
- Talvez…
- Pois, mas esse não pode ser dona L., porque são precisos 800 pontos. Relembro que só tem 500 pontos. Era o Sony-Ericsson?
- Oiça lá! Mas eu tenho que comprar um telemóvel hoje?!
- Não…
- Então quando eu estiver interessada vou ao vosso site, está bem?

Posso ter um feitio assim para o torcido… mas não há pachorra para esta gente! Eles conseguem vender telemóveis assim??? Não acredito!
Ah… e só por vingança, desliguei a chamada antes de ela poder dizer o mítico “até já”!
(Caracois-L)

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

um aplauso para mim

Entrei na sala.
Não sei se era o ar condicionado que estava forte demais.
Se eram todos os outros sentados e virados para o mesmo lado da sala, com um ar tão perdido como o meu.
Mas arrepiei-me até aos ossos.
Entrei e avancei para o meu lugar.
O atravessar da sala foi como uma eternidade.
Sentei-me.
Transpirava.
A minha vez chegou.
Levantei-me.
Fui lá à frente.
Virei-me para as pessoas da sala…


“Olá, eu sou a L.”
“Olá L!”

“Estou sóbria de gente que não presta há um mês.”

(Caracois-L)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

De volta

Vinda de Barcelona, de volta ao meu caos organizado e sem a pressão de um exame que se aproximava. Logo, “cheia” de tempo para um dos meus passatempos favoritos: jantaradas!
E o meu estado de espírito tem andado de tal forma luminoso, que me apetece fazer uma ovação!
Um bem-haja à culinária. Nacional, internacional, de fusão, nouvelle cuisine, cachorros-quentes… Desde que seja comestível, nós agradecemos!
Um bem-haja ao vinho tinto, à cerveja nas suas mais variadas versões, imperial, mini, média ou litrosa, ao martini, ao gin-tónico, à vodka, e a todos os outros que nos fazem sorrir sem motivo aparente e nos presenteiam com uma fantástica dor de cabeça no dia seguinte.
Um bem-haja aos meus companheiros nesta dura vida de boémios sem cura, que estão sempre disponíveis para mais uma epopeia por muito dura que tenha sido a semana. E que no dia seguinte, e apesar de não conseguirem levantar a cabeça da almofada, fazem questão de mandar sms a todos os outros ressacados para gozar com as figuras da noite anterior.
Um bem-haja à minha máquina fotográfica, única fonte de “memória” em muitas situações para o grupo inteiro.
Um bem-haja às nossas casinhas que ainda não foram abaixo, e à nossa mobília que ainda está mais ou menos inteira.
Um grande bem-haja aos nossos fígados, esses desgraçados…

Vadios do meu coração! The Great Pin&Pon is back!
(Caracois-L)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Barcelona ficou lá... e eu também ficava...

Infelizmente de volta…
O congresso foi… um congresso.
O exame foi… um exame.
Barcelona foi… de morrer!
Lindo! Tudo lindo!

Cidade linda! Não há palavras para falar das Ramblas, do La Boqueria onde comi como se não houvesse amanhã, dos pontos obrigatórios de passagem que merecem todo o estatuto de pontos obrigatórios! No meio disto tudo ainda fui presenteada com uma picada de abelha na axila direita…

Hotel lindo! Onde fomos rainhas por cinco dias! Riamos até de madrugada! Mascarámo-nos de dondocas só para tirar fotos! Gozávamos com os empregados e baptizamos o segurança de Pappy, visto que ele tinha constantemente a mania de nos mandar para o quarto porque não podíamos fazer barulho na entrada do Hotel. Só porque era de madrugada…

Comida linda! Tapas tapas tapas tapas. Entre as tapas houve jantares nos melhores restaurantes e em grande companhia. Mas as tapas… senhores…

Noite linda! Só saímos uma vez. Mas valeu por muitas. Tanto, que o taxista que nos levou de volta ao hotel baixou o volume do rádio para perguntar se tínhamos fumado alguma coisa estragada. Não sei se a pergunta que eu lhe tinha feito segundos antes teve alguma coisa com isso. “Diondie estiamios niós?”… era o gin tónico a falar… Decidi nesse momento que só falaria em inglês com a população local!

Homens lindos! Antes de chegar ao hotel apaixonei-me 3 vezes. Depois apaixonei-me ao jantar. Vi o gerente do hotel e… epá… apaixonei-me. Fui beber uma imperial num café e apaixonei-me pelo empregado de balcão! Saí para passear e apaixonei-me no metro. O segurança disse para eu apanhar os “ferrocariles” e eu apaixonei-me. Fui passear ao parque Guell e havia um cantor de rua… apaixonei-me e até lhe comprei um CD… Num bar a comer tapas apaixonei-me pelo empregado, olhei para o lado para me distrair daquela visão e apaixonei-me por outros três que por lá andavam…

Tomei então a decisão mais lógica.
Quando for grande vou viver para Barcelona!
(Caracois-L)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

quase quase tão quase barcelona

Sei que espias a minha vida com uma sede descontrolada.
Sei que teces comentários como se eu fosse uma peça de teatro.
Sei que me sorris maldosamente como se eu não soubesse de nada.
Sei que, acima de tudo, te julgas mais feliz que eu.
Mas sabes?...
Se realmente o fosses, não precisavas de saber tanto sobre mim.

E eu sei que deixei mais do que uma alminha a pensar agora…

E com esta me despeço com um “até já”.
Vou só até ali a Barcelona e já venho.

(Caracois-L)

quase quase quase barcelona

Quem me conhece sabe isso: não sou pessoa de ficar nervosa com exames.
Hoje dormi calmamente a minha sesta. Jantei e sentei-me a estudar.
De repente tive vontade de partir coisas, pegar fogo à casa, despentear-me e sair de casa a correr e aos gritos, pegar num pau e espancar a primeira pessoa que me aparecesse à frente e depois ser atropelada por um camião da recolha do lixo.
Fumei um cigarro e passou mais ou menos.
Se estou a ficar nervosa com o exame?
Claro que não!
Toda a gente sabe que eu não sou pessoa de ficar nervosa com exames...
(Caracois-L)

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

quase quase barcelona

Semana fabulosa!!! Desde 2ª feira até amanhã, 4ª feira às 15 horas, totalizo 38 horas de trabalho… Ainda vamos a meio da semana. Recuso-me a fazer as contas até 6ª feira.
Quase quase Barcelona, e o fantástico exame em inglês!
E ainda algumas coisas para estudar…
Começo a pensar em criar um novo movimento teológico. Tenho uma fé enorme que os conhecimentos impressos em publicações com capa dura, ou em fotocópias ilegais das mesmas, conseguem ser transferidos através de ondas electromagnéticas até aos meus centros de memória a longo prazo. É só fechar os olhos e acreditar com muita força.
(Caracois-L)

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Sabe bem recordar os bons velhos tempos...

Depois de ter escrito o último post fiquei um tanto ou quanto nostálgica... De repente, lembrei-me de um comment que a minha irmã me deixou um dia no hi5...
"Se cresceste nos anos 90...
- Ainda te lembras de quando valia a pena acordar cedo para ver desenhos animados;
- Sabes de cor a música de pelo menos 4 canções dos filmes da Disney;
- Fazias aquelas coisinhas de papel para ver com quem é que te ias casar - os 'quantos queres?' ;
- Cantavas as musicas das Spice Girls, mas não sabias bem o que é que estavas a dizer;
- Sabias que a Power Ranger cor de rosa e o verde ainda iam acabar juntos;
- Não perdias um episódio do Dragon Ball;
- Sabias as músicas dos Onda Choc de cor 'ele é o reiii, eiii, eiii'
- Ainda és do tempo em que a Anabela cantava 'quando cai a noite na cidadeee'...
- Ainda te lembras da coreografia da Macarena;
- Gritavas 'Olhós namorados, primos e casados!';
- Choraste quando o Mufasa morreu e, se for preciso, voltas a chorar se voltares a ver o filme outra vez;
- Tururururu Inspector Gadget Tururututu!
- 500 escudos dava para tanta coisa!
- 'Bem-vindos ao mundo encantado dos brinquedos, onde há reis, princesas, dragões!'
- Todas as tuas decisões importantes eram feitas com um 'pim-pu-ne-ta'
- Quando ias ao cabeleireiro, a tua mãe dizia-te que ficavas linda de 'poupa';
- Querias sempre um Push-pop e a tua mãe nunca te queria dar porque ficavas todo a colar!!!
- Vias os teus colegas trocar tazzos e matutolas;
- Vias o Riscos, no canal 2, e sentias-te muito mais crescida.
- Achavas piada ao 'quarto-escuro';
- Respondias aos insultos com 'quem diz é que é!!'
- Lembras-te de ver os Simpsons e de não perceberes porque é que, sendo desenhos animados, não tinham graça nenhuma;
Já te apercebeste que já não és uma criança, e que sabe bem recordar os momentos que já passaram... Sabe realmente bem recordar os bons velhos tempos..."
Então e não é verdade??? Não era tudo muito mais giro nessa altura?
Push Pop, Peta Zetas, aquele chupa do papagaio que apitava... hmmm...
Falaram em tazzos e matutolas... então e os pega-monstros, bem mais antigos e mais fixes?
Sabias e continuas a saber de cor as musicas dos desenhos animados... Não me digas que não cantas ainda as musicas da Rua Sésamo, do Dartacão ou das Navegantes da Lua?
Quando punhas a tocar sem cansar as cassetes dos Onda Choq e dos Ministars? Ainda sei algumas musicas...
Jogavas à Macaca desenhada no chão da escola e saltavas ao elástico... Já nao se vê os miúdos a fazer isso porquê?
E quem não se lembra do "Beverly Hills, 90210"? Já lá vão tantos anos...

Caramba... Sinto-me velha agora... E sou a mais nova... olha se não fosse! Enfim...

(Caracois-S)

Morangos fora de prazo

Sou obrigada a dar razão á Caracois - L quando diz que nao gosta de ver tv! De facto deviamos todos dedicar-nos ao consumo intensivo de Gin Tónico!!!
São 19h44 e está a dar um episódio de Morangos com Açucar!!! Onde é que foram buscar estes actores de tamanho talento? Isto vai de mal a pior... A história inicial, da Joana e do Pipo (já lá vão 6 anos... sim 6 anos!) ainda se gramava, era novidade e tal... Agora hoje??? Como é que é possivel cenas tão irreais? Actores que intrepretam mal, mas mal!
E foi nisto que se tornou a nossa tv... E eu que nao perdia um episódio de Malhação... Há quanto tempo...

Bem... Caracois L, bora lá beber um Gin...

(Caracois-S)

Justificativo de ausência...

Posso dizer que tirei umas férias? Talvez...
A minha vida deu uma volta de 180 graus nos últimos tempos... estava a precisar mesmo de férias!
Não saí do país mas tive vontade até mesmo de sair deste planeta.
Como os bilhetes para o comboio interplanetário estavam completamente esgotados, optei por encher o depósito do XU e rumar ao Algarve.
Epa... ninguém toma tal decisão no primeiro fim-de-semana de Agosto! O verdadeiro caos para dizer a verdade. O Algarve cheio de gente... As praias a abarrotar. Graças a Deus que havia piscina em casa. :)
Furou a saída á noite!
Foi um bom fim-de-semana para descansar. Piscina e descanso... Óptimo era mesmo isso que precisava!
Até que, no ultimo dia (domingo), a família se lembra de ir á praia!!! NÃO!!!
Uma fila de trânsito gigante. Estacionamento? Difícil!
Horas na praia: MEIA HORA!
Resultado: trombas! Mau Feitio GIGANTE!
Chega finalmente a hora da partida. Adeusinho confusão do Algarve e o tão desejado regresso á Moita! Chego a meio do caminho e apanho um acidente... mais um morto a juntar ao trágico número. Era mesmo o que me faltava. Depois de 25 minutos parados... pus-me de novo a caminho. Finalmente cheguei! Amanha é dia de trabalho!
Depois de uma semana de trabalho intensiva... novo fim-de-semana.
Destino: Évora. O paraíso na Terra! Isso sim foi um fim-de-semana de descanso... piscina (mais uma vez), optimas refeições, bom champagne... boa companhia... o verdadeiro dolce fare niente! Óptimo! :p
No entanto... Continuava a ter vontade de mudar de planeta!
Então decidi não me aproximar do computador e evitar ao máximo o uso do telemóvel. Não resultou muito bem a parte do telemóvel... portanto, recebi todas as notícias por telemóvel, inclusive a notícia do nosso programa de rádio!
Mas devido ao trabalho, perdi essa pérola! Pertenço portanto àquele grupo que vai ouvir o programa nos arquivos do site da Comercial.
Espero a partir de agora estar mais presente!
A vontade de mudar de planeta já diminuiu um pouco... :)
(Caracois-S)

domingo, 23 de agosto de 2009

quase barcelona

Finalmente parece que vai haver alguma agitação por estes lados, para além de saídas à noite e regressos a casa de manhã graças a um GPS biológico de grande qualidade (a dona dele vem embalsamada a maior parte das vezes…).
Daqui a 5 dias voo para Barcelona.
Ai e tal, sortuda, fim-de-semana em Barcelona, vais partir aquilo tudo sua maluca!
Calma aí! Vou para um congresso e ainda vou-me submeter a um exame em inglês. Sim… só no meu mundo se conjuga Barcelona, fim-de-semana, gaja borguista, congresso e exame em inglês. São sortes…
E então ontem decidi ser uma miúda atinada. Fiquei em casa num sábado à noite. Deitei-me cedo e até dormi à noite. EU dormi à noite. EU hoje acordei cedo para estudar. Mas como a vontade de estudar é assim a modos que muita, já lavei roupa, limpei a casa, e até fiz almoço.
Estava agora a olhar para o livro que tenho que estudar.
Hum…
Acho que vou agora às compras… acabou-se o… deixa lá ver… o leite. É isso! Acabou-se o leite.
(Caracois-L)

O NOSSO BLOG DEU UM PROGRAMA DE RÁDIO

Recebi a notícia ontem por e-mail: O “meu” programa de rádio é já amanhã às 21horas.
Pensamento: “Foda-se pá! Amanhã vou tar a trabalhar até às 23h. Merda!!! Vou comprar um rádio a pilhas!
Sim, na era do MP4, a minha nobre cabecinha fez ressuscitar o rádio a pilhas… só eu… adiante.
A tarde inteira a lamentar-me: "logo hoje... não vou poder ouvir... ai e tal pá... tou tão triste... fogo..."
Solução da minha colega: “podes ir durante essa hora para o meu carro ouvir a rádio se quiseres.”
És um amor! Por gostar de mim, por ter tido pena, ou por já não me poder ouvir mais a lamentar… mas foi amorosa!
Lá fomos para o carro dela. Tentamos sintonizar a Comercial, e nunca mais dava.
Descobri à custa disto umas quantas radiozitas que até o nome assusta, quanto mais o conteúdo.
Cinco minutos depois, e já em pesquisa manual das estações de rádio, começo a ouvir: “...e esta é a minha homenagem aos homens das obras…”.

EU estava a ser transmitida em FM para o país.

Lógico que a minha opinião é suspeita.
Mas amei o resultado!!!! Obrigada.
Ah! E já agora... essa história do pessoal da rádio comercial se juntar todo para me comprar um relógio é a sério ou é só brincadeirinha?... é que eu sei onde vocês trabalham, tá?... estou a brincar, não precisam de contratar seguranças... mas de qualquer maneira, na minha terra, quando se diz que se faz uma coisa, faz-se mesmo... mas deixem lá, já devem ter reparado que eu não me faço reger pelos horários do comum mortal... :)

(Caracois-L)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

PARECE QUE ALGUÉM ATÉ GOSTOU DISTO


PORQUE PARECE QUE ISTO VAI DAR UM PROGRAMA DE RÁDIO NA COMERCIAL


E PARECE QUE VAI SER JÁ AMANHÃ AS 21 HORAS


E AINDA PARECE QUE NÃO HÁ DESCULPAS PARA NÃO OUVIR, PORQUE REPETE DOMINGO AS 9H


QUEM SE ACHA MAIS ESPERTO QUE O RESTO... AZAR... VAI TER QUE OUVIR DEPOIS NO ARQUIVO DA RÁDIO COMERCIAL, NO SITE OFICIAL


E SE A NOSSAS MÃES PERGUNTAREM ALGUMA COISA, VOCÊS NÃO SABEM DE NADA...

amanhã já é sexta, certo?

Mais um dia de calor.
Acabadinha de sair do trabalho, encontro-me com dois amigos para uma tarde de piscina.
Tarde essa combinada desde a véspera, e para a qual me esqueci de verificar o meu estado capilar dos membros inferiores.
E que devia ter verificado…
Armada em bruxa, andei a fazer previsões, que vieram a confirmar-se nesta mesma tarde.
Consta que há por aí pessoas com amizades novas.
OK, estou numa piscina com pêlos nas pernas, o amigo tem uma amiga, mais alguma coisa para hoje ou podemos fechar a folha?
Não não, por hoje é tudo!
O mundo não desabou nesse instante.
Esperei por chegar a casa, e contribuí significativamente para a subida do nível da água do mar.
Amanhã já é sexta-feira, certo?
Boa!
É um gin tónico se faz favor...
(Caracois-L)

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

coisas inexplicáveis


Ganhou a medalha de prata! Vice-campeão mundial!
Proponho uma análise a fundo sobre a questão.
Mas...
Sejamos um pouco mais atentas...
Sejamos um pouco mais curiosas...
Sejamos um pouco mais filhas-das-hormonas...
De certeza que todas já parámos, mais minuto menos segundo, a pensar...
Mas que raio se passa dentro do calção de licra do Nelson Évora?
É um pensamento que tenho tido com alguma recorrência...
hum hum...
(Caracois-L)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

domingo à tarde

Isto dos Domingos à tarde pá…
Coisas para fazer: algumas.
Vontade de as fazer: a escala tem negativos?...não?... então é zero, pronto.
O dia inteiro em modo-pepino a rebolar na cama. Disseram-me que a taxa de recuperação das noitadas diminui exponencialmente a partir dos 25 anos. E eu comprovo!
Jantar à hora a que já devia estar a dormir.
Tratar de umas roupinhas já o calendário diz segunda-feira.
Um cigarrito aqui outro ali…
De vez em quando falar sozinha ou para a ventoinha.
Esclareço já que falar para a ventoinha não é o mesmo que falar sozinha, ok?
Há por aí muito boa gente que só me responde com o mesmo movimento em meia-lua com a cabeça! E a ventoinha sempre tem utilidade…
Se sou doida? Só um bocadinho… é que isto de viver sozinha e não gostar de ver televisão… opá... a malta tem que se distrair com qualquer coisa, não é?
E pronto.
Cá está o balanço de um dia sem história.
E o sono, onde está?
Não dormisses a tarde toda, filha!
Oh!!! Falei sozinha outra vez, viram?
Ventoinha, a conversa não era para ti!
(Caracois-L)

domingo, 16 de agosto de 2009

ai eu...

Já inventaram auto-rádios em que é possível fazer chamadas de telemóvel em alta voz por causa do bluetooth.

Já inventaram fornos micro-ondas que avisam para virar a comida a meio do processo de descongelação.

Chamada de atenção aí para os senhores génios das novas tecnologias!
Então e um apetrecho qualquer para o telemóvel que impeça raparigas giras e malucas de fazerem chamadas despropositadas e mandarem mensagens absurdas quando bebem (um bocadinho) mais do que deviam? Ou pelo menos que bloqueasse alguns números da lista telefónica...
Já se inventava uma coisinha dessas, não?...
(Caracois-L)

sábado, 15 de agosto de 2009

questões pertinentes

Questão pertinente que me fizeram ontem de manhã: “oh esquisita, então mas o que precisa ter um homem para te agradar, pah??”
Dado o meu estado letárgico causado por uma noite mal dormida (dizem as más línguas que tinha saído à noite e tal…), não consegui responder. Mas vim para casa a pensar nisso. O que precisa ter não sei. Mas o que não pode ter… isso já é outra conversa.
Há os fofinhos e bonzinhos que nos fazem as vontades todas… enjoam-me.
Há os mauzões, que implicam por tudo e por nada e que têm a mania que tudo tem que ser à vontade deles… enervam-me.
Há os que falam muito… cansam-me.
Há os que quase não abrem a boca… nem dou por eles.
Há os giros e cheios de pinta, vaidosos e com a mania que é tudo deles… dão-me náuseas.
Há os pseudo-intelectuais, que pensam que sabem tudo sobre tudo… provocam-me urticária.
Há os que são meus amigos e de quem sei muito… sei demais.
Há os quase desconhecidos de quem não sei quase nada… não confio.
Depois ainda temos aqueles pequenos (grandes) pormenores sórdidos, tipo pouco cabelo, unhas roídas, pés demasiado grandes, mãos demasiado pequenas, gargalhada demasiado sonora, voz de passarinho, comer de boca aberta…
Posto isto, minha cara amiga, acho que a resposta à tua questão está no inicio da tua própria pergunta.
“oh esquisita...”
(Caracois-L)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

um pouco de geologia

CALHAU: formação rochosa, de origem magmática, sedimentar ou metamórfica, de tamanho e forma variável. Devido ao buraco da camada de ozono em combinação com as radiações cósmicas, alguns exemplares podem adquirir a forma humanóide. Na sua maioria possuem duas pernas, dois braços, cabelo e dois olhos com velocidade de oclusão e orientação variáveis. São, no entanto, desprovidos de qualquer tipo de raciocínio lógico ou actividade cerebral. Mimetizam os humanos que os rodeiam, sendo apenas capazes de reproduzir frases e expressões presenciadas nas últimas 24 horas, devido à sua limitada capacidade de armazenamento de informação. Assim que identificados, é dever do cidadão ignora-los e continuar a sua actividade normal, uma vez que a falta de protagonismo e atenção fá-los regredir à sua forma original. São a terceira maior praga urbana da actualidade, apenas precedidos pelos pombos e por “esses-bichinhos-maus-que-vivem-no-gin-tónico-e-que-nos-fazem-ter-diarreia-aos-sábados-e-domingos-ao-acordar”.

Como hoje até estou bem disposta, passo a decifrar: gente estúpida mete-me nojo, ia levando com uma cagadela de pombo na testa e estou seriamente a pensar em mudar de bebida alcoólica favorita...

(Caracois-L)

terça-feira, 11 de agosto de 2009

ele o quê??

Se eu fosse dondoca passava a vida num spa. Como não sou, quer tenha, quer não tenha dores nas costas, tenho que ir trabalhar todos os dias. Mas pronto… lá tenho a minha querida auxiliar importada directamente de Angola, com umas mãos de ouro, que me dá umas valentes massagens sempre que lhe peço. Hoje, enquanto atendia a mais um pedido meu, víamos no computador fotos do Robert Pattison, o vampirinho fofinho do Crepúsculo. Desenrolou-se então o seguinte diálogo:
- Oh técnica! Tu acha esse homem bonito??
- Bonito? Epa… se o apanhasse fazia-lhe tanto mal que ele nem sabia de que terra era… acho este homem o máximo!
- Ah ah! Mas ele tem cara de trombose de careta!!!
- Ele o quê??
- Tu é gira oh técnica! Não pode gostar de homem com trombose de careta! Tem que gostar de homem com boca estética!
- …

Perceberam?
Então expliquem. Depressa!
Acho que ela descobriu qual é o meu erro de casting.
(Caracois-L)

:(

Há dias que têm o poder de nos pôr a fazer perguntas. Este pôs um enorme “o que é que foi isto?” na minha cabeça.
Dia no trabalho normal.
Amiga assina contrato. Combinamos copo para celebrar. Desencontro com sestas desfasadas, e o copo comemorativo não acontece.
Discussão com “amigo” antigo que passou de imediato a “ex-conhecido que não quero conhecer outra vez”.
Jantar sozinha que, talvez por isso mesmo, até correu bem.
Discussão com o “melhor amigo” devido a discordâncias relativas à base da própria amizade. A intermitência desta amizade qualquer dia oferece-me uma úlcera nervosa.
Planos para sábado abortados logo à segunda-feira.
Um dia em cheio.
Amanhã, dia 11, ou seja, afinal, hoje, faz um ano que me mudei para o casulo. Depois de um ano mais ou menos, estou outra vez no menos, tal como estava quando me mudei.
Motivos para festejar?
Aceitam-se sugestões.
será que é desta que o pessoal comenta?.... com convicção e em massa?...
(Caracóis-L)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

um pouco de biologia

CACHALOTE: animal de grande porte que vive no mar e sazonalmente, durante a sua época de procriação estival, nas discotecas. No seu habitat terrestre, faz-se apresentar com vestuário de pequenas dimensões para que todos possamos apreciar a sua corpolência. Na sua maioria de sexo feminino, uma vez que os machos costumam ser barrados à entrada. Estes podem ser encontrados nas tascas e outros estabelecimentos de índole duvidosa, em especial durante os jogos do Benfica.
Atenção às horas. Foi mais um devaneio nocturno. A culpa continua a ser das insónias...
(Caracois-L)

domingo, 9 de agosto de 2009

veneno (iii)

Atordoada, a princesa abriu devagar os olhos. Não sabia onde estava, não sabia que dia era, nem mesmo se era dia ou noite. Aos poucos foi-se apercebendo. Um sono de quatro dias tinha passado por ela sem deixar marcas.
O Castelo estava vazio. Até as andorinhas tinham desistido de cantar. Só a pouca luz que teimava em passar entre as portadas das janelas parecia mostrar-lhe que havia um mundo lá fora.
Abriu as janelas e sentiu o sol queimar-lhe o rosto. Fechou os olhos e sorriu. Sabia que os seus demónios estavam adormecidos. O dia foi passando e ela sentia-se leve. Leve como já não se sentia há muito tempo. Mas há medida que a noite ia caindo os seus olhos foram mudando de expressão. Uma sede estranha começou a invadir-lhe a mente. Uma sede estranha que acabou por dominá-la por completo. Saiu do Castelo quase cega e sem destino. Hoje o demónio era ela.
Saciada, voltou ao Castelo horas depois. Despiu-se e deitou-se para dormir. Por momentos sentiu um arrepio. Puxou as mantas para cima e enroscou-se. Sacudiu a estranha sensação de não estar sozinha e deixou-se levar pelo sono.
Dormiu profundamente. O silêncio da noite só foi quebrado por um pranto mudo que nunca a despertou. Ao seu lado a Consciência chorava. Sabia que era invisível outra vez.
(Caracois-L)

sábado, 8 de agosto de 2009

manhã de sábado

Linda manhã de sábado.
Mas só para mim, porque para o resto do país já são 17 horas…
Acordo com uma mensagem no telemóvel. Uma amiga realizou um sonho de adolescência e manda mensagens em massa às restantes amigas, para contar que teve uma curte com uma figura pública, daquelas que nos faziam ter sonhos esquisitos há uns anos atrás.
O Pedro-não sei-quê.
Ainda atordoada pensei “Puta da ressaca! Não faço ideia de quem ela tá a falar…”.
Após mais umas quantas mensagens e uma pesquisa no nosso sempre fiel Google lá chegamos a um consenso. Ela trocou-lhe o nome. Mas não foi só nas mensagens com as amigas. Foi com o próprio. A noite inteira. O Pedro afinal era António…
Podem não achar a graça que eu achei. Mas pelos menos, desta vez, a pior história do fim-de-semana não é minha… E por isso mesmo, esta noite fiquei em casa para não lhe dar hipóteses! Toma!
(Caracois-L)

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

à saída

Saída das tais 16 horas de trabalho, voltei em piloto automático para casa.
A única situação que me despertou qualquer coisa que se parecesse com uma reacção, foi ver uma mulher extremamente volumosa e disforme, vestida de forma completamente absurda, que estava parada na rua. Olhei para ela e pensei “olha-me só este trambolho”.
Acho que foi a única coisa que pensei o caminho todo.
Vim para casa e dormi.
Moral da história: ressuscitei uma palavra. Trambolho!
Ah! E Mafamude pertence ao Município de Vila Nova de Gaia. Só para o caso de quererem saber....
(Caracois-L)

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

e pronto...

Vim (mais uma vez) fazer noite.
O que significa eu vou trabalhar as tais 16 horas de seguida.
As tais 16 horas começaram com o sistema informático a ir abaixo. Liguei para o técnico de informática, que para meu espanto não sabia vir até ao gabinete. Lá consegui explicar o caminho. Ele chegou e disse-me com um ar super profissional "isto é desligar tudo e voltar a ligar e ver no que dá". Sim, este senhor ganha ordenado para me dar esta solução. Solução que eu uso há séculos para tudo o que é eléctrico lá em casa. E não estudei informática. Sou um génio e não sabia.
Algumas horas depois uma senhora perguntou-me se "isso do pâncreas é assim tipo uma tripa".
Delicioso, este momento.
Num momento de pausa pus-me a vaguear pela net. E descobri que existe uma candidata à Junta de Freguesia de Mafamude que tem o mesmo nome que eu.
Foi mais um momento único.
E pronto.
Acho que isto de estar com insónias há 2 semanas já me está a queimar os fusíveis.
Vou seguir o conselho do técnico da informática.
E depois ver no que dá.
(Caracois-L)

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

palavras pra quê?...

Hoje de manhã apanhei uma frase solta que se aplicou a quase tudo no meu dia: pá puta que te pariu! Extremamente versátil, nunca foi dita em voz alta. Em qualquer situação, aquela vozinha do fundo da minha cabeça, soltou o pá puta que te pariu, e tudo pareceu mudar para melhor.

No café:
-as merendas que a menina gosta ainda não chegaram… - pá puta que te pariu!

No trabalho:
- bom dia! - pá puta que te pariu!
- desculpe o atraso… - pá puta que te pariu!
- chegue só 2mm para a esquerda… - pá puta que te pariu!
- ai menina, isto ainda demora muito? - pá puta que te pariu!

Ao almoço:
- ai comes tanto!!! - pá puta que te pariu!

À saída do trabalho:
- então até amanhã! - pá puta que te pariu!

No supermercado:
- Ah isso não temos… - pá puta que te pariu!
- são 17euros se faz favor. - pá puta que te pariu!

No telemóvel:
- O seu saldo não lhe permite efectuar a chamada…. - pá puta que te pariu!

Foi sem dúvida o marco do meu dia, que tinha sido igual aos outros não fosse esta pequena pérola lançada por um senhor que, vá-se lá saber porquê, estava aborrecido com a vida e a falar sozinho na rua, logo às 7 horas da manhã. Um grande bem-haja ao senhor mal-disposto!
(Caracois-L)

terça-feira, 4 de agosto de 2009

a privação do sono deturpa a percepção da realidade

E se eu ganhasse imunidade às pessoas cuja existência me incomoda para além dos limites do suportável?
Assim que passassem da distância de segurança, o meu corpo libertava toda a gama disponível de glóbulos brancos, que nas condições ambientais exteriores, perdiam a sua forma microscópica e transformavam-se em super-guerreiros inter-galácticos com corpos musculados e cara de sacanas. Os meus super-guerreiros faziam um streap-tease colectivo enquanto neutralizavam os inimigos, que eram depois desintegrados em unidades de tratamento de detritos urbanos. Nunca mais ninguém sequer falava deles.
Depois disto iamos todos para a praia com as minhas amigas. Sim, porque eu não quero um batalhão de homens grandes só para mim.
E o mundo seria um sítio melhor.
Vou dormir.

são 4h da manhã... serve de desculpa para o devaneio, certo?
(Caracois-L)

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

e ao fim de semana não se passa nada....

Acabadas 16 horas consecutivas de trabalho. A minha cama voa no meio de uma neblina perturbante na minha mente. Em cima dela a minha almofada, com uma boca perfeitamente desenhada, diz em tom sedutor “querida, esperamos por ti”. Dou saída nos serviços administrativos. O meu GPS biológico já digitou sozinho “casa”. Mas a minha chefe decide nesse momento que devemos ter uma conversa ali, agora, depois do horário de saída. O meu encontro romântico com a minha cama e almofada fica adiado 2 horas.

Decido, para me compensar, que vou jantar com os meus pais. Ligo à minha mãe. Prontamente me diz que entra de férias dentro de umas horas e que pretende apanhar uma “mini-piela” nessa tarde com as colegas. Não vai haver jantar lá em casa… não hoje. Atingido o seu objectivo, ainda me telefona a confirmar o seu estado etanólico e a notificar-me que realmente hoje não se janta. O jantar com os pais fica adiado 24 horas.

Chego a casa dos papás. Carta do ministério das finanças. Ah! O belo do IRS! A simulação dizia 150 euros. Eh eh, já devem estar a dar os reembolsos!!! Ups… não reparei que na simulação dizia “a pagar” e não “a receber”… Bem, parece que aquele sofá vai ficar adiado mais uns meses.

O “melhor-amigo” telefona. Tem saudades. Penso em coisas bonitas. Mas depois já não sabe se tem saudades. Penso em ataques com mísseis terra-ar, emboscadas com tribos indígenas canibais, guerra biológica e espancamentos com tacos de hóquei no gelo. Enfim… e tudo continua adiado por tempo indeterminado.

Conclusões lógicas a reter: eu sou uma personagem de ficção, a minha vida é uma comédia negra e o guionista anda metido na droga.
(Caracois-L)

sexta-feira, 31 de julho de 2009

veneno (ii)

A luz começou por invadir devagar o castelo. Os demónios recolhiam, ainda com laivos de sangue nas garras, enquanto já se ouviam os trinados das andorinhas que fizeram ninho por cima da janela do quarto da princesa. Felizes essas andorinhas, cantavam agora para um novo dia, enquanto ela ainda chorava.
Os olhos que horas antes fixaram o escuro, viam agora o seu pequeno império tomar formas com a luz da manhã. E a Consciência, que horas antes a tinha confrontado, emprestava-lhe agora o colo para que chorasse. E durante horas assim ficaram, sem se olharem e sem falarem.
Os seus olhos permaneciam imóveis e frios. Ao corpo despido e gelado, apenas o soluçar e as lágrimas que lhe riscavam a face pareciam dar sinais de vida. Vida essa que parecia desvanecer-se numa dor vazia, mas maior que a mágoa e mais funda que o desalento. A culpa. A sua e a dos outros. Essa imensa pedra que lhe esmagava o peito.
Exausta, a princesa rendeu-se ao cansaço e foi finalmente vencida pelo sono. Antes de fechar os olhos, deixou escapar em surdina “Qualquer dia fujo outra vez…”.
A Consciência tapou-lhe o corpo, secou-lhe as lágrimas e afagou-lhe o cabelo. Fechou as janelas para esconder o sol que já ia alto. Também ela exausta, sentou-se no seu cadeirão. Mas antes de fechar os olhos, respondeu em surdina “Fugir para onde, princesa? Se nunca poderás fugir de ti…”.
(Caracois-L)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

fizeste-me sorrir

trim trim
(na verdade é uma musica dos muse, mas se pusesse tanananan tum tan tan tan, ninguém ia perceber que era o toque do meu telemóvel)

"sim?"
"oi amiga"
"tão miga, tás boa?"
"ah pah, recebi agora um telefonema do..."
"aaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh! tás a gozar?!"
"tou nada pah! sabes alguma coisa?"
"nao pah! mas isso é bom de certeza!"
"achas?..."
"ai ai ai! claro que sim!!!!"

Amiga! Desde que a outra amiga me ligou a dizer que ia casar em duas semanas que um telefonema nao me deixava tão eufórica! Vai correr bem! Torço por ti!
(Caracois-L)

terça-feira, 28 de julho de 2009

mais um desabafo...

Entristece-me saber que existem pessoas como tu. Aliás, às vezes até tenho pena de ti. Mas é só mesmo às vezes… Consegues consumir-me o bom humor, dou por mim a recorrer ao sorriso n.5 vezes sem conta, aquele que tenho sempre no bolso, caso o verdadeiro se parta. Massacras a minha pele, despenteias-me a alma e provocas-me diarreia. Enjoas-me na verdadeira acessão da palavra. Gostava que um dia chegasses ao pé do teu carro, e que ele tivesse sido esmagado por um autocarro. Gostava que o teu respectivo trocasse as fechaduras todas de casa, para passar a viver com uma senegalesa albina e os seus 14 filhos, mais o seu irmão anão. Gostava que alguém te dissesse em público que és feia, gorda e que cheiras mal dos pés. Gostava que apanhasses piolhos, chatos, gonorreia, sarna, Beri-Beri e escorbuto, e que todos os teus dentes caíssem. Gostava também que alguém mandasse passar um aviãozito daqueles da publicidade, mesmo em frente à tua janela, com uma grande faixa a dizer “és uma grande mula!”… “cabra de merda” também podia ser…. E agora que já me sinto melhor, vou até ali ao espelho treinar o sorriso mais um bocado.
(Caracois-L)

segunda-feira, 27 de julho de 2009

o macaco

Encontrei hoje um colega que considero esteticamente bastante agradável. Chamemos-lhe Zé. Gosto de partilhar algum tempo com o Zé de vez em quando. Ele fala, eu oiço-o, mas principalmente olho para ele. Sentámo-nos. Ele começa alegremente a contar-me um episódio qualquer engraçado que teve há dias com a namorada, essa mulher abominável e sem interesse nenhum. E eis senão quando, o seu harmonioso e perfeitamente desenhado nariz, revela um monstruoso macaco. Qual macaco… aquilo era um gorila! Mas um pai-gorila, um gorila gigante, um autêntico king-kong. O meu cérebro contorceu-se.
Zé – E lá fomos nós pela rua não sei quê e tal…
Eu – ahn ahn…
Cérebro – Ele tem um macaco. Ele tem um macaco. Ele tem um macaco.

Já não conseguia decifrar o que ouvia. Parecia que o Zé estava a falar num dialecto tribal qualquer. Só via o macaco. O meu cérebro contorcia-se cada vez mais, mandou as minhas mãos transpirarem e o meu coiro cabeludo reagir como se tivesse 50 mil piolhos. O Zé riu-se. Por instinto ri-me também.
Zé – blá blá blá blá ah ah ah ah ah ah!
Eu – ah ah ah ah ah ah!
Cérebro – Macaco! Macaco! Macaco!

Deixei simplesmente de ouvir o Zé. O meu cérebro gritava e esperneava. Estava prestes a enlouquecer!
Zé – ........................
Eu – ahn ahn...
Cérebro – Mata o macaco! Oh não! Ele já te viu! Mata o macaco porra!!!!
Macaco – Olá gira, eu sou o macaco do Zé…

Zé, gosto muito de ti. Desculpa. Mas já não aguentava mais.
Zé – ........................
Cérebro – Quero sair daqui! Há macacos que voam! E que se colam nas testas das pessoas! Matem-me!!!!
Macaco – De que cor sou eu, princesa? Estou a dançar ao ritmo da respiração do Zé. Olha lá! Só para ti….
Eu – Zé… tens um macaco….

(Caracois-L)

domingo, 26 de julho de 2009

desabafo de um fim de férias

Depois de duas semanas e meia de férias, comecei a trabalhar Sábado às 8 horas. Só saí às 15 horas, pelo que perdi a etapa do Tour da confirmação da vitória do Contador (és o Maior). Voltei para casa perdida de sono, porque mesmo sem ter saído do País durante as férias, consegui mudar-me para o fuso horário das Honduras e tinha passado a noite toda acordada. Cheguei a casa e dormi profundamente até às 21 horas. Dormi, mas dormi a sério, com direito a baba, roncos e certamente muitas outras coisas das quais não me apercebi porque dormia profundamente. Tinha um jantar de amigos combinado para a hora de jantar, ao qual só cheguei perto das 23 horas, após uma viagem alucinante de táxi, com um taxista descompensado que se perdeu 3 vezes e dizia palavrões em várias línguas. Lá jantei uns belos pipis, uns belos camarões e um belo bacalhau no forno, sublinhe-se. Saímos, fomos barrados em duas discotecas e acabamos no sítio do costume. Cheguei a casa hoje, Domingo, já de manhã. Dormi o dia inteiro. Hoje entro às 23 horas e só saio amanhã às 15 horas. Pelas minhas contas, devo mudar-me durante esta noite para o fuso horário das Ilhas Seychelles.
Estava tão bem de férias…
(Caracois-L)

sexta-feira, 24 de julho de 2009

sincera homenagem III

Isto de ser “bloguista” está a ter a sua graça. Apesar do descontrolo (típico das mulheres) que acaba por nos pôr certos episódios da vida na praça pública, as reacções têm sido, no geral, positivas (apesar dos fãs não se exporem… baah!).
Por isso, hoje não me exponho!
Hoje quero falar sobre ruídos, buzinões.
Os que buzinam por que o sinal já abriu e o condutor da frente demorou mais que 46 milésimos de segundo para arrancar. Os que buzinam porque os bloquearam no parque de estacionamento. Os que buzinam porque o melhor amigo acabou de casar. Os que buzinam porque adormeceram com a tromba enfiada no volante, enquanto a mulher demora 5 horas para sair do centro comercial. Os que buzinam sem saber porquê, só porque há mais alguém a buzinar…
Então e os que buzinam porque há uma “gaja boa” parada na berma da estrada, a caminhar lentamente no passeio ou a entrar no café?… Senhores da estrada, carregadores de mercadorias pelo país e não só, com volantes do tamanho de betoneiras, com calendários pirosos na cabine, com sinais nas traseiras a dizer “viatura longa” e que dormem em estações de serviço… E ainda assim, com a gentileza de buzinarem para nós, dizerem com um sorriso nos lábios “oh boa” e chamarem a atenção de todos os outros para a nossa presença!
E já agora, confessemos… qual é a mulher que não gosta quando um homem lhe chama a atenção e se mostra detentor de algo de grandes dimensões? Mesmo que seja um camião TIR…
A prometida homenagem aos camionistas!
(Caracois-L)

quinta-feira, 23 de julho de 2009

veneno

No seu reino de fantasia ela é a princesa. Frágil dizem uns, doce dizem outros… um veneno, diz o pai… um veneno, diz ela própria.
Sem saber que os seus demónios se tinham soltado, a princesa decidiu ir ao baile da Corte nessa suposta fantástica noite de verão. E riu. Riu muito. Riu tanto que nem se apercebeu que eles já lhe estavam a fazer o cerco.
De repente sentiu ser mordida. Os olhos ficaram turvos, a cabeça zonza, o coração disparou, os sons vinham de longe... parecia que tudo se estava a passar em câmara lenta, como se ela não estivesse ali…
Voltou de imediato para o castelo. Olhos fixos no vazio, caminhou lentamente sozinha com o pensamento perdido em nada.
Entrou devagar. Ainda não tinha percebido muito bem o que tinha acontecido.
E foi nesse momento que a Consciência, que a esperava sozinha no escuro, sorriu com maldade e perguntou baixinho: “E então?... A que sabe o teu veneno, princesa?”.
Não respondeu.
Despiu-se, deitou-se, não conseguiu dormir e esperou até conseguir chorar.
(Caracois-L)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

my sweet revenge

Confesso: as vinganças dão-me gozo.
Gosto de me vingar, gosto de procurar motivos para me vingar, gosto quando me arrependo de me ter vingado, gosto de avaliar as vinganças dos outros… é tipo hobby! Quando nos fazem mal, quando achamos que nos fizeram mal, quando achamos que nos vão fazer mal, ou simplesmente por não fazerem nada.
Mas esta última vingança pah!... senhores!... quais psicopatas da Califórnia?! Temos um psicopata já aqui ao lado! Vingou-se por não terem feito nada, depois porque achou que iam fazer, depois por ter achado que já fizeram, agora por não fazerem nada outra vez. E neste momento está a curtir o vazio de nem sequer saber porque se vingou tanto e por dar motivos para se vingarem. Mas uma coisa é certa: se se vingarem dele, ele vinga-se!
E o pior de tudo, é isto parecer-me tããããão familiar.....
(Caracois-L)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Sentimentos...

1. Há quem me adore...
2. Há quem me odeie...
3. Há quem me ame...
4. Há quem me irrite...
Pois bem... agora querem saber o porquê?
Ora vamos lá a ver:
1. Porque tenho aquele brilho... porque me conhecem e sabem o que valho;
2. Porque tenho aquele brilho... Ou por inveja... ou só porque sim (no fundo acho que é mesmo só por inveja);
3. Porque tenho aquele brilho... ou porque se querem meter em sarilhos (anda tudo farto de estar bem);
4. Há quem me irrite porque numa hora adora-me, na outra odeia-me... porque um dia me ama, no outro dia já não sabe... e hoje voltou a amar-me... tenham dó!
Ora resumindo...
Peço desculpa por despertar tais sentimentos... Não é por mal... não fiz nada que isto acontecesse...
Como diz o meu amigo Jorge Palma: “Dormia tão sossegada”...
(Caracois S)

o regresso

Aaaaah! E lá vinha eu “muita solta”, sorridente, descontraidíssima depois do retiro espiritual…
Epa… nem foi retiro nenhum, só mudei de sítio… do espiritual então só tive uma breve amostra, quando a nônô decidiu comentar as últimas do pregador, mas isso são outras andanças!
Resumindo: o rabudo sorriu-me três vezes mas eu virei-lhe a cara, escorreguei numa casca de banana enquanto via o Disney Channel, dei mergulhos nas Cataratas e apanhei sol e vento ao mesmo tempo, tive constantemente vontade de ir à Dinamarca, encontrei a minha consciência mas desisti de carregá-la porque já pesava 5 toneladas, meti-a de castigo ao pé da neura, e então acharam que eu devia carregar a dos outros… enfim…
Sim, não faz sentido, está tudo em código, mas pelo menos desabafei sobre tudo o que me perturba…
Ah!... mas diverti-me, matei saudades de algumas pessoas, fui a petiscadas à antiga e o melhor: a mana (finalmente) percebeu o quanto vale…
Já não é mau…
(Caracois-L)