quinta-feira, 17 de setembro de 2009

antes de dormirmos...

A terminar as minhas leituras para o curso de emergência e deparo-me com a seguinte informação: a reanimação cardio-respiratória deve ser iniciada sempre e de imediato, excepto nos casos em que se verifiquem situações de lesões incompatíveis com a vida: decapitações, incinerações, decomposição…
Muito bom!
Fantástico mesmo!
O que estariam a pensar quando escreveram isto?...
“Epá, deixa-me lá esclarecer os gajos, não vão eles tentar reanimar o corpo que tiramos do rio a semana passada!”
Mas depois pensei eu...
“Epá, será que algum anormal já tentou reanimar um corpo sem cabeça?”
Se assim for, acho muito bem que esclareçam as pessoas!
Que a malta às vezes pode andar distraída com outras coisas…
E quando a minha cabecinha começa a divagar assim é sinal de caminha... senão é ela que um dia destes deixa de ter indicação para ser reanimada...
(Caracois-L)

5 comentários:

ADEK disse...

LOL Muitas vezes, se tirassem esse género de comentários dos guias ou livros de estudos, eles ficavam bastante reduzidos:P

David disse...

A esperança é sempre a ultima a morrer. Mesmo sem cabeça.

è mais uma daquelas informaçoes do estilo debaixo do copo estar escrito não vire o copo que entorna o liquido e assim.

Já sentias a minha falta não? confessa lá :)

Mab disse...

É importante referir que se o gajo estiver tipo carvão a reanimação também é escusada...sobretudo se ja nem der pra ver onde fica a boca ;) (conter o riso quando me mostraste esta pérola é que foi mais complicado :P )

AC disse...

L, o manual está feito para o Publico em geral, é claro que, nós profissionais da Saúde e do Pré-Hospital, sabemos que nessas situações é escusado iniciar as manobras de reanimação!

Mas existem situações que nos verificamos que é escusado faze-los temos de o fazer, nem que seja para não levarmos com os familiares da vitima em cima a dizer que nada fizemos e que a culpa é nossa, etc, etc.

caracois disse...

AC.
até o público em geral percebe institivamente que é escusado intervir nestes casos, não achas? Para além disso, um manual onde se aprende o suporte avançado de vida, com dosagens de fármacos e tudo, não me parece dirigido a leigos...
mas é verdade, muitas vezes a NOSSA SEGURANÇA depende de intervenções que sabemos à partida que não terão qualquer resultado...

continua a "opinar"! :)
beijo
C.-L