segunda-feira, 11 de outubro de 2010

coisas de gaja

Há uns tempos comecei a fazer depilação definitiva no rosto. E fiquei tão contente que comecei este sábado a fazer no resto do corpo. E lá estava eu toda exposta (entenda-se, despida) da cintura para baixo a levar descargas de luz pulsada por aí fora e na conversa com a esteticista. Falámos de coisas que eu já não me lembro, mas de certeza que falei mais do que devia, enquanto ela ia matando pêlos com a sua máquina demoníaca. E fiquei a saber que o cliente antes de mim era um homem que está a fazer o tratamento no corpo todo e que a menina teve que ir afastando o Zé Coelho (entenda-se, pénis) para um lado e para o outro e levantar os tin-tins (acho q esta não precisa de tradução…) enquanto fazia o seu trabalho e ainda me confidenciou que o tipo só podia ser gay porque ela lhe tocava com “jeitinho” (seja lá o que for que ela quis dizer com isto) e que ele não reagiu.
Ele quem? O cliente? O Zé Coelho? Mas ela queria que ele reagisse? A dúvida inquieta-me. Quando saí do gabinete o próximo cliente já estava na sala de espera. Passei depressa e sem o olhar de frente. Nunca se sabe o que esta tipa vai comentar acerca da “cliente anterior”. E com a sorte que eu tenho…
Caracóis-L

5 comentários:

Wilson disse...

Oh God! A gaja estava era com falta de alguma coisa xD

Tiago disse...

Eu bem digo de as esteticistas tem uma disciplina designada "codrelhice e mal dizer", no curso que tiram! lol

caracóis disse...

Wilson e Tiago: mesma resposta para os dois - SÓ PODE!!!!
lol

Paloma disse...

ahhaah, são todas umas cuscas. a minha é! sei como são os pêlos das gajas do bairro inteiro!

caracóis disse...

Paloma: então ainda bem que decidi tratar deste assunto a km de casa!!